Notícias e Pesquisas

21 Mai 2019

Viver em São Paulo: Meio Ambiente

A pesquisa “Viver em São Paulo: Meio Ambiente”, realizada pelo IBOPE Inteligência em parceria com a Rede Nossa São Paulo, apresenta dados sobre a percepção e hábitos de paulistanos e paulistanas acerca do tema.

Manutenção das praças

A manutenção e preservação de praças da cidade está aquém do esperado, para a população da cidade de São Paulo. A pesquisa mostra que pouco mais da metade (53%) dos entrevistados avaliam a manutenção e preservação das praças da cidade como ruim ou péssima, ao passo que apenas 11% afirmam que é ótima ou boa. 35% dos entrevistados respondem que a manutenção é regular.

Quando analisamos esses dados por segmento, observamos que o grupo que mais responde que a manutenção das praças é ótima ou boa é representado pelos mais jovens, de faixa etária entre 16 a 24 anos, e com renda familiar de até 2 salários mínimos. Já o grupo que aponta que as praças têm estado de conservação ruim ou péssima é composto por adultos, de 35 a 44 anos, e de classe B.

Concessão de parques municipais

A pesquisa revela que a maioria dos paulistanos e paulistanas é favorável à medida da Prefeitura de conceder os parques municipais à iniciativa privada. A favorabilidade à proposta é de 60%, enquanto 31% são contra e 10% não sabem ou preferiram não responder à questão.

Quando analisamos os dados regionalmente, observamos que a população da região Sul é a que mais apoia a medida, com 65%, e a da região Norte é a mais contrária, com 39%.

Os grupos que se destacam no apoio à concessão dos parques são o de adultos de 45 a 54 anos (67%), e o segmento da população com escolaridade até o Ensino Fundamental. Já o grupo contrário que se destaca é caracterizado pelos jovens de 16 a 24 anos (47%).

Com isso, é possível entender que a maior favorabilidade em relação às concessões dos parques para a iniciativa privada indica que a população tem a expectativa de uma melhor atuação na zeladoria desses espaços em comparação ao que a administração municipal apresenta atualmente. Assim, esta percepção pode estar associada aos casos de abandono e falta de manutenção de praças e parques.

Combate às enchentes

74% dos paulistanos e paulistanas, pouco mais de 7 em cada 10 entrevistados, avaliam de maneira negativa a atuação da Prefeitura no combate às enchentes. Ainda, 18% dizem que a atuação da gestão municipal é regular. Apenas 7% avaliam a atuação da Prefeitura como ótima e boa.

Destacam-se neste item os segmentos que avaliam a atuação da Prefeitura de maneira negativa a população preta e parda, com Ensino Fundamental e da classe C.

Quando analisamos conjuntamente as respostas para a atuação da Prefeitura no que diz respeito à manutenção de praças e combate às enchentes, notamos que quase metade da população (45%) avalia negativamente a Prefeitura nos dois aspectos.

Separação do lixo e reciclagem

Mais da metade dos entrevistados e entrevistadas (61%) afirmam que separam o lixo reciclável do orgânico em suas casas, enquanto pouco mais de um terço (38%) diz não separar. Observa-se nesta questão o crescimento das pessoas que afirmam fazer essa separação em relação a 2018, quando 57% dos entrevistados responderam positivamente – o que representa um crescimento de 4%. Ao mesmo tempo, cai o número de quem diz não fazer a separação, que no ano passado representava 42%.

Quando analisamos esses dados regionalmente, observamos que as regiões Sul, Norte e Centro aumentaram a parcela da população que faz a separação em casa do lixo reciclável, enquanto a região Oeste diminuiu o grupo que respondeu positivamente, passando de 75% para 66% em relação ao ano passado.

Descarte do lixo reciclável

Com relação ao descarte do lixo reciclável, entre as pessoas que fazem a separação em casa, 37% afirmam que o fazem por meio dos caminhões da Prefeitura, e 31% pelos catadores de recicláveis. Num patamar abaixo, 16% afirmam que levam a algum ponto de reciclagem, 8% para alguma associação ou cooperativa e 5% para outros locais de coleta.

O aumento do percentual daqueles que separam o material reciclável dos materiais não recicláveis de sua casa evidencia um possível crescimento da demanda por meios alternativos de coleta seletiva, que também é demonstrado pela diminuição da coleta seletiva pelos caminhões da prefeitura, principalmente nas regiões Leste e Norte, e aumento da coleta por catadores e pelo próprio munícipe que leva o material até um ponto de reciclagem.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Viver em São Paulo: Meio Ambiente

Margem de erro

3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Meio ambiente

Opinião pública

Contratante

REDE NOSSA SÃO PAULO

Período

03/04/2019 a 23/04/2019

Local

Brasil

Amostra

800 entrevistas.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa
Viver em São Paulo: Meio Ambiente