Notícias e Pesquisas

08 Abr 2013

Pesquisadora analisa o uso de novas tecnologias em escolas

Em 2010, apenas 38% das escolas disponibilizavam o acesso a computadores na biblioteca e somente 4% na sala de aula

Entender a realidade e explicitar a potencial contribuição das tecnologias de informação e comunicação (TIC) para as escolas brasileiras é a proposta da pesquisa TIC Educação, conduzida pelo IBOPE Inteligência para o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), em parceria com educadores e pesquisadores especialistas na área de educação e tecnologia do país, como Ana Lúcia Lima, diretora do Instituto Paulo Montenegro, responsável pelas ações sociais do Grupo IBOPE.

De acordo com os resultados do levantamento, já em 2010, todas as escolas da zona urbana brasileira possuíam pelo menos um computador. Mas enquanto 88% das escolas tinham computador nos espaços da coordenação e 81% nos laboratórios de informática, apenas 38% delas disponibilizavam acesso aos alunos na biblioteca e somente 4% na sala de aula. 

 “Segundo os professores entrevistados no estudo TIC Educação de 2010, em 24% das escolas não havia computadores disponíveis para os estudantes e em 32% não era possível que eles tivessem acesso à Internet. Em 16% das escolas, os locais mais frequentemente utilizados para atividades pedagógicas com os alunos utilizando as TIC eram a sala dos professores e a secretaria da escola” , comenta Ana Lúcia, com base nos dados da época.

A pesquisadora ressalta, com base em dados do estudo, a necessidade de avançar no fortalecimento da  formação do corpo docente, na inovação nas linguagens e práticas de ensino, na conectividade entre os atores educacionais e na introdução de novas práticas de gestão e avaliação.

Este conjunto de fatores são considerados pela autora como condições estruturantes, que poderiam provocar uma significativa transformação no cenário educacional brasileiro. “Uma transformação capaz de garantir não apenas a democratização do acesso às tecnologias ou avanços no aprendizado dos estudantes mas, principalmente, a ressignificação do papel da escola como um ambiente capaz de garantir as condições para o desenvolvimento de sujeitos autônomos, habilitados a buscar seu crescimento pessoal e a participar da construção de uma sociedade mais informada, consciente e conectada com os desafios do século 21", conlui.

Sobre a pesquisa
O artigo de Ana Lúcia Lima faz parte da publicação “TIC Educação 2011 – Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras”, publicação que sintetiza os principais resultados do estudo conduzido pelo IBOPE Inteligencia a pedido do CGI – Comitê Gestor da Internet no Brasil.


Clique aqui para ler o artigo na íntegra.