Notícias e Pesquisas

29 Jan 2016

Oito em cada dez brasileiros acham que país está no rumo errado

Os brasileiros que mais acreditam que o país está no rumo errado são os jovens, os que ganham mais de cinco salários mínimos, os que vivem nas grandes cidades e os moradores do Sudeste.

Pesquisa do IBOPE Inteligência realizada entre os dias 16 e 20 de janeiro revela que na opinião de 82% dos brasileiros o país está no rumo errado. Apenas 14% dos entrevistados acham que o Brasil está no rumo certo e 4% não sabem.

Isso mostra que nunca tantos brasileiros acharam que o país está no rumo errado. Em abril do ano passado, 75% da população acreditava nisso, percentual já bem acima do registrado em agosto de 2014: 48%. Se comparado com dezembro de 2003, a diferença é de 46 pontos percentuais: nesse período 36% da população achava que o Brasil estava no rumo errado, contra 48% que consideravam que o país estava no caminho certo.

Atualmente, os brasileiros que mais acreditam que o país está no rumo errado são os jovens (88%), os que ganham mais de cinco salários mínimos (88%), os que vivem nas grandes cidades (87%) e os moradores do Sudeste (87%).

A pesquisa também questionou a percepção dos entrevistados a respeito do que leem, veem observam ou ouvem falar. Neste caso, 85% têm a percepção de que o país está no rumo errado e 12%, no rumo certo. Em abril do ano passado, essa percepção estava no mesmo patamar: 82% achavam que o país estava no rumo errado, percentual bem acima do verificado em julho de 2014: 57%. Na pesquisa deste ano, há uma convergência maior entre a opinião pessoal dos entrevistados e o que eles leem ou ouvem, quando comparada com as medidas anteriores.

Ano melhor - Apesar da maioria da população crer que o país caminha no rumo errado, 40% acham que 2016, no geral, será melhor do que 2015, quase o mesmo percentual dos que acham que será pior: 35%. Os que acreditam que será igual somam 22%.

Em outubro, pesquisa do IBOPE Inteligência realizada em parceria com a Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), mostrou que a expectativa de metade da população (50%) era de que 2016 seria melhor do que 2015, enquanto 32% achavam que seria pior e 13% não esperavam mudanças. Em 3 meses, cai 10 pontos o número dos que acham que 2016 será melhor do que 2015.

Quando o assunto é a política, a opinião é mais negativa. Isso porque 38% acreditam que, politicamente, este ano será pior do que 2015 e 31% acham que será igual. Os que esperam um ano melhor em relação à política totalizam 28%.

Entretanto, em relação à vida pessoal, a maioria está otimista: 61% creem que 2016 será melhor do que o ano anterior, 25% acreditam que será igual e 13% acham que será pior.

Sobre a pesquisa
Realizada entre 16 e 20 de janeiro, a pesquisa ouviu 2.002 pessoas com 16 anos ou mais em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa da WIN ouviu 66.040 pessoas em 68 países, entre setembro e dezembro de 2015. No Brasil, foram feitas 2.002 entrevistas em outubro de 2015.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Pesquisa sobre os rumos do país e expectativa para 2016

Margem de erro

2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

Opinião pública

Contratante

IBOPE Inteligência

Período

16/01/2016 a 20/01/2016

Local

Brasil

Amostra

2002 entrevistas em 142 municípios.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Download do relatório