Notícias e Pesquisas

10 Mai 2018

Neste momento, Kátia Abreu lidera a disputa pelo governo do Tocantins. Carlos Amastha, Vicentinho Alves e Mauro Carlesse dividem a segunda posição.

O IBOPE Inteligência realizou, entre os dias 5 e 7 de maio, uma pesquisa de intenção de voto para a eleição suplementar para Governador do Tocantins a pedido da Fecomércio - TO. A candidata Kátia Abreu (PDT) aparece à frente com 22% das intenções de voto, mas é seguida de perto por Carlos Amastha (PSB) e Vicentinho Alves (PR), mencionados por 15% dos entrevistados, cada. Considerando a margem de erro da pesquisa, que é de 3 pontos percentuais (p.p.), os candidatos do PSB e PR estão tecnicamente empatados com Mauro Carlesse (PHS) que aparece com 10% das intenções de voto. Márlon Reis (REDE) obtém 5% das menções, enquanto Mário Lúcio Avelar (PSOL) e Marcos Souza (PRTB), têm 1% de menções, cada. No atual levantamento, os eleitores que declaram votar em branco ou nulo somam 18% e 12% não sabem ou não respondem à questão. 

Destaques por segmentos
Kátia Abreu se destaca entre os eleitores que possuem de 5ª a 8ª série do ensino fundamental (33%) e entre os que têm de 16 a 24 anos (30%). Nota-se também uma tendência de crescimento das intenções de voto quanto menor a renda dos entrevistados: obtém 13% entre aqueles cuja renda familiar é acima de 5 salários mínimos e chega a 28% entre os que têm renda familiar de até 1 SM. Além disso, a candidata se destaca no interior do estado (25% das citações contra 9% em Palmas).

- Carlos Amastha, apresenta sua maior intenção de voto entre os eleitores de Palmas (31% contra 11% no interior). O candidato pelo PSB, também se destaca entre os que possuem de 16 a 24 anos e entre aqueles que declaram renda familiar de mais de 2 até 5 salários mínimos (23% em cada). As intenções de voto no pessebista crescem conforme aumenta o grau de instrução do entrevistado (indo de 5% entre os que possuem até a 4ª série do fundamental a 22% entre aqueles que têm o Ensino Superior).

- Já Vicentinho Alves apresenta maior intenção de voto no interior do estado (17% contra 6% na capital).

- Mauro Carlesse destaca-se entre os eleitores de 45 a 54 anos, segmento no qual atinge 15% das menções.

- As intenções de voto em Márlon Reis crescem quanto maior a renda familiar do entrevistado: é citado por 2% dos que têm renda familiar de até 1 salário mínimo e atinge 14% entre os que têm renda familiar superior a 5 salários mínimos. O candidato pela Rede possui 10% das citações em Palmas, contra 4% nas demais cidades do estado.

- Os demais candidatos apresentam intenções de voto distribuídas de maneira homogênea nos segmentos analisados.  

Intenção de voto espontânea
Na pergunta espontânea, quando não há a apresentação do disco contendo os nomes dos candidatos, 52% dos eleitores não sabem ou não respondem à pergunta e outros 15% declaram que pretendem votar em branco ou anular o voto. O ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha é mencionado por 9% dos eleitores, enquanto Vicentinho Alves tem 8%. Kátia Abreu e Mauro Carlesse aparecem com 5% das menções cada um. Márlon Reis é lembrado por 2% dos eleitores e o ex-governador do Estado, Marcelo Miranda (PMDB), por 1%. Outros candidatos mencionados totalizam 2% das menções.  

Rejeição
O IBOPE Inteligência também questionou em quais dos candidatos os entrevistados não votariam de jeito nenhum. Kátia Abreu é mencionada por 37% dos eleitores, Vicentinho Alves por 24% e Carlos Amastha por 21%. Não votariam de jeito nenhum em Mauro Carlesse 15% dos entrevistados, enquanto 12% mencionam Marcos Souza. Mário Lúcio Avelar e Márlon Reis têm o mesmo índice de rejeição (11% cada). Aqueles que declaram espontaneamente que poderiam votar em qualquer um dos nomes apresentados representam 5% e os que preferem não responder correspondem a 22% da amostra. Nesta pergunta os entrevistados podem mencionar mais de um nome.

Influência de apoios: Quase metade dos eleitores declara que o apoio do Ex-Presidente Lula aumentaria a sua intenção de votar em um candidato para o Governo do Tocantins. Já os apoios do Presidente Michel Temer e do Ex-Governador Marcelo Miranda diminuiriam a vontade do eleitor de votar em um candidato. Os apoios do Ex-Ministro Ciro Gomes, do Ex-Governador de SP Geraldo Alckmin, da Ex-Presidente Dilma Rousseff e do Deputado Jair Bolsonaro não influenciariam a intenção de voto dos eleitores.  

Avaliação da administração estadual
A administração do governador cassado, Marcelo Miranda, é avaliada como ruim ou péssima por metade dos eleitores (50%), regular por 31%, enquanto 14% a avaliam positivamente (ótima ou boa). São 6% os que não sabem ou não querem opinar.

Principais problemas do estado
Com relação a percepção da população sobre as principais áreas problemáticas do Tocantins, a da Saúde aparece em primeiro lugar, com 68% de menções. Em segundo lugar figura a Educação (39%) e em terceiro a Geração de Empregos e a Segurança Pública (27% cada).  Estes percentuais correspondem à soma das três áreas que os entrevistados poderiam mencionar. 

Avaliação da administração federal
A administração do Presidente Michel Temer é avaliada de maneira negativa (ruim ou péssima) por 65% dos eleitores do Tocantins, enquanto 25% avaliam como regular e são 5% os que consideram a administração federal de forma positiva (ótima ou boa). Aqueles que não sabem ou não querem opinar somam 5%.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Intenção de votos no Tocantins

Margem de erro

A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atua

Tema

Eleições

Opinião pública

Contratante

Instituto Fecomércio Tocantins de Pesquisa e Desenvolvimento

Período

05/05/2018 a 07/05/2018

Local

Brasil

Amostra

Foram entrevistados 812 votantes.

Registro TRE/TSE

Registrada no Tribunal Regional Eleitoral do estado do Tocantins sob o protocolo Nº TO?06472/2018.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa