Notícias e Pesquisas

30 Jun 2017

Maioria da população brasileira é favorável à educação sexual nas escolas

Pesquisa do IBOPE Inteligência realizada para o Católicas pelo Direito de Decidir com o objetivo de levantar a opinião dos brasileiros sobre a abordagem de assuntos relacionados à Educação Sexual e à igualdade de gênero nas escolas.

Para 42% dos entrevistados na pesquisa, os(as) alunos(as) de escolas públicas deveriam receber aulas de educação sexual a partir dos treze anos ou mais, 36% preferem a partir dos dez anos e outros 10% antes dos dez anos.  Apenas 9% dos brasileiros disseram que os(as) alunos(as) de escolas públicas não deveriam receber aulas de educação sexual. Somam 3% os que não sabem ou se abstêm de responder.

Considerando os diferentes segmentos sóciodemográficos, nota-se que quase a totalidade dos(as) brasileiros(as) com grau de escolaridade Médio (92%)  e Superior (91%) afirmam que os alunos deveriam receber aulas de educação sexual.  Entre os respondentes que estudaram até a 4ª série do ensino Fundamental, 79% são da mesma opinião.

O estudo testou o grau de concordância quanto a duas afirmações a respeito de saúde sexual e reprodutiva em aulas e livros didáticos para alunos(as) com mais de treze anos. A respeito de “Informações sobre doenças sexualmente transmissíveis e formas de prevenção dessas doenças”, 87% concordam totalmente ou em parte e 8% discordam totalmente ou em parte. Nessa afirmação, a concordância varia de acordo com a região: Norte/ Centro-Oeste registra 91% de concordância; Sudeste 90%; enquanto no Nordeste a concordância é de   85% e no Sul, de 81%.

Quanto à frase que indaga sobre a inclusão de “Métodos contraceptivos modernos como pílula, injeção e DIU” no material didático e nas aulas, a concordância total ou parcial é de 80%, contra 16% de discordância total ou parcial.  Entre os(as) adultos(as) de 30 a 39 anos e os(as) mais escolarizados(as) – aqueles que têm os ensinos Médio e Superior, a concordância atinge percentuais mais elevados, sendo de 86% e 85%, respectivamente. Nesta questão a variável região se mantém mais homogênea.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL

Margem de erro

2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra

Tema

Educação

Contratante

Católicas pelo Direito de Decidir

Período

16/02/2017 a 20/02/2017

Local

Brasil

Amostra

2002 entrevistas em 143 municípios

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa

COMENTÁRIOS