Notícias e Pesquisas

30 Jun 2018

João Doria e Paulo Skaf aparecem novamente empatados na disputa pelo governo de São Paulo; Suplicy continua na liderança pelo Senado

De acordo com a terceira pesquisa IBOPE Inteligência/ TV Band, realizada entre os dias 23 a 26 de junho no estado de São Paulo, a liderança para o cargo de governador, neste momento, está indefinida, considerando a margem de erro da pesquisa (3 pontos percentuais). O pré-candidato João Dória (PSDB) recebe 19% das intenções de voto e, como observado na pesquisa de abril, volta a ficar tecnicamente empatado com o emedebista Paulo Skaf que é mencionado por 17% dos eleitores. O atual governador, Márcio França (PSB), é citado por 5% dos eleitores, enquanto Luiz Marinho (PT) e Professora Lisete Arelaro (PSOL) aparecem com 3% das intenções de voto, cada um. Rodrigo Tavares (PRTB) tem 2% das menções e os pré-candidatos Alexandre Zeitune (REDE), Rogerio Chequer (NOVO) e Claudio Fernando (PMN) recebem 1% das citações, cada. Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou anular o voto para governador são 38%, enquanto 10% dos eleitores declaram-se indecisos.

Ressalta-se que as candidaturas ainda não estão oficialmente definidas e, desse modo, os cenários testados consideram prováveis nomes para a disputa, além dos informados pelos partidos. Ademais, não é possível comparar os resultados com os levantamentos anteriores, uma vez que foi incluído um novo pré-candidato.

Pergunta: Se a eleição para Governador de São Paulo fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (%)

DESTAQUES POR SEGMENTOS

As intenções de voto em João Doria aumentam conforme a renda familiar dos eleitores, indo de 16% entre aqueles cuja renda familiar é de até 1 salários mínimos (S.M) até 25% entre os que têm renda familiar acima de 5 SM. Destaca-se também entre os homens e entre os mais jovens, com 24% das citações cada.

Já as intenções de voto em Skaf são mais frequentes entre os eleitores com idade de 25 a 34 anos e entre os que têm renda familiar acima de 1 S.M a 2 S.M (21% em cada um dos segmentos citados).

Os demais candidatos apresentam intenções de voto distribuídas de maneira homogênea nos segmentos analisados. 

OUTRAS INFORMAÇÕES DA PESQUISA

ELEIÇÕES 2018

Simulações de Segundo Turno 
Doria e Skaf continuam empatados tecnicamente na simulação de segundo turno, mas pela primeira vez o emedebista fica numericamente à frente. Considerando o embate desses com outros possíveis candidatos, ambos aparecem com vantagem em relação aos demais. Na simulação entre Márcio França e Luiz Marinho, os candidatos estão tecnicamente empatados.

INTENÇÃO DE VOTO PARA SENADOR

O IBOPE Inteligência testou dois possíveis cenários para o cargo de Senador, uma vez que neste momento não há nomes formalmente oficializados para o cargo. Além disso, considerando a inclusão de alguns nomes testados, não é possível comparar os resultados desse estudo com as pesquisas anteriores.

No primeiro cenário estão presentes o ex-senador José Anibal e o deputado federal Ricardo Tripoli, ambos pelo PSDB. Eduardo Suplicy (PT) lidera a disputa, com 29% das intenções de voto. Em seguida, em patamar semelhante, estão os pré-candidatos José Luiz Datena, do DEM, com 23% das menções e Marta, do MDB, com 22% das menções. O pré-candidato pelo PODEMOS, Mario Covas Neto, aparece com 14% das menções, seguido pelo possível candidato Major Olímpio (PSL) com 10% das intenções de voto. Os demais pré-candidatos (José Anibal e Ricardo Tripoli do PSDB, Jilmar Tatto do PT, Joice Hasselmann do PSL, Educador Daniel Cara e Silvia Ferraro do PSOL, Jair Andreoni do PRTB e Christian Lohbauer do NOVO) têm até 5% das menções, cada um. Aqueles que declaram intenção de votar em branco ou anular o voto totalizam 53%. Eleitores indecisos somam 15% e 14% citam apenas um candidato.

Pergunta: Lembrando que neste ano, São Paulo elegerá dois SENADORES, se a eleição para Senador por São Paulo fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (1º + 2º lugares) (%)  

O segundo cenário de intenção de voto para a disputa ao senado, no qual Ricardo Tripoli é substituído pelo deputado estadual Cauê Macris do PSDB, não apresenta diferenças significativas em relação ao primeiro cenário. O pré-candidato ao senado Eduardo Suplicy continua à frente, com 29% das intenções de voto, seguido pelos candidatos José Luiz Datena, com 23% das menções e Marta, com 22% das menções. Na sequência, estão os pré-candidatos Mario Covas Neto e Major Olímpio com 14% e 11% das intenções de voto, respectivamente. Outros candidatos (José Anibal, Jilmar Tatto, Joice Hasselmann, Jair Andreoni, Educador Daniel Cara e Silvia Ferraro, Cauê Macris e Christian Lohbauer) atingem até 5% das citações, cada um. Aqueles que intentam votar em branco ou anular o voto totalizam 53% e os eleitores indecisos somam 14%.  São 15% os que citam apenas um candidato. 

Pergunta: Lembrando que neste ano, São Paulo elegerá dois SENADORES, se a eleição para Senador por São Paulo fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (1º + 2º lugares) (%)  

INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE

Foram investigados 3 cenários de intenção de voto para Presidente da República. No primeiro cenário foi considerado o ex-presidente Lula como candidato pelo PT. Enquanto no segundo, Lula é substituído pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que na terceira simulação é substituído pelo ex-governador da Bahia, Jaques Wagner. 

Devido as alterações dos nomes testados também não é possível comparar esses resultados com os das pesquisas anteriores.

Intenção de voto estimulada (com a apresentação dos nomes dos candidatos)

Lula (PT) lidera o cenário que contempla seu nome, enquanto Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (REDE) aparecem em seguida, em patamar semelhante. Na simulação com Haddad ou Jaques Wagner, Bolsonaro fica numericamente à frente, mas tecnicamente empatado com Alckmin e Marina Silva.

OUTRAS INFORMAÇÕES DA PESQUISA

AVALIAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO ATUAL

Avaliação da administração estadual. A administração do Governador Márcio França é avaliada negativamente (ruim ou péssima) por quase um terço dos eleitores (31%), queda de 7 pontos percentuais (p.p.) em relação à pesquisa anterior. Para 41% a administração estadual é regular e 10% dos paulistas a avaliam como ótima ou boa (eram 35% e 9%, respectivamente). São 18% os que não sabem ou não querem opinar (mesmo índice da pesquisa de maio).

Aproximadamente metade dos eleitores entrevistados (49%) desaprova a forma como Márcio França vem administrando o estado de São Paulo (9 p.p a menos que no levantamento anterior), contra 28% que a aprovam (crescimento de 9 p.p, mesmo percentual de queda apresentado na desaprovação). Aqueles que não sabem ou preferem não responder totalizam 23%.

Os paulistas que declaram não confiar no Governador Márcio França somam 65% (eram 72% na rodada anterior), enquanto a confiança vai de 16% para 21% das respostas. Os eleitores que preferem não opinar somam 14% nesta pergunta.

Principais problemas do estado. A Saúde continua sendo a área mais problemática, sendo citada pela maioria dos eleitores (61%), apresentando então um crescimento de 4 p.p com relação à medição anterior. Na sequência, aparece a área de Segurança Pública, com 40% (variação de 2 p.p. a mais que na segunda pesquisa) e Educação com 38% das menções (contra 34% no levantamento anterior). Lembrando que estes percentuais correspondem à soma das três áreas que poderiam mencionar. 

Avaliação da administração federal. O percentual de eleitores paulistas que avaliam a administração do Michel Temer de maneira negativa (ruim ou péssima) vai de 81% para 79% nesta rodada. Já aqueles que consideram a atual administração regular são 16% (eram 14%); enquanto os que a avaliam positivamente (ótima ou boa) oscilam de 4% para 3%.

A maioria dos paulistas (87%) continuam desaprovando a forma como Michel Temer está governando o Brasil (um recuo de 4 p.p. com relação ao levantamento anterior) e 9% a aprovam (eram 7%). Aqueles que não sabem ou preferem não opinar somam 4%.  

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

INTENÇÃO DE VOTOS EM SÃO PAULO

Margem de erro

A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

Eleições

Opinião pública

Contratante

COMPANHIA RIO BONITO COMUNICAÇÕES

Período

23/06/2018 a 26/06/2018

Local

Brasil

Amostra

Foram entrevistados 1.008 votantes. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.

Registro TRE/TSE

Registrada no Tribunal Regional Eleitoral do estado de São Paulo sob o protocolo Nº SP-06856/2018 e

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa

COMENTÁRIOS