Notícias e Pesquisas

01 Jul 2016

Governo Temer começa com popularidade em baixa

Pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência para a Confederação Nacional da Indústria (CNI) em junho aponta que, com pouco mais de um mês de governo, o presidente em exercício Michel Temer ainda não conseguiu conquistar a confiança e a aprovação da maior parte da população brasileira. De acordo com a pesquisa, a popularidade de Temer é maior do que a registrada por Dilma Rousseff em março, mas o percentual da população que avalia o governo negativamente é maior do que as avaliações positivas.

A administração do presidente é considerada ruim ou péssima por 39% dos entrevistados (eram 69% em março, em relação ao governo Dilma), regular por 36% (19% em março) e para 13% o governo está sendo ótimo ou bom (10% em março).



No que diz respeito à maneira de governar e à confiança no presidente, há melhora na comparação com a presidente Dilma Rousseff, mas ainda assim o saldo é negativo. Dentre os entrevistados, 27% confiam no presidente em exercício e 31% aprovam sua maneira de governar, enquanto 66% não confiam e 53% desaprovam a maneira de governar. Na comparação com a avaliação de março sobre Dilma Rousseff, o aumento na confiança é de 9 pontos percentuais e de 17 pontos na aprovação.

Na opinião de 44% da população, o governo Michel Temer está sendo igual ao governo Dilma Rousseff.  O restante está dividido entre os que consideram o governo Temer melhor (23%) e os que o consideram pior (25%).

Avaliação por área de atuação
Em todas as nove áreas avaliadas, o percentual de desaprovação supera o de aprovação. Na comparação com a última pesquisa, relativa ao governo Dilma, há crescimento no percentual de aprovação de todas as áreas além da margem de erro da pesquisa, com exceção de combate à fome e à pobreza, que oscila de 29% para 30%.

As políticas com maior crescimento no percentual de aprovação, na comparação com os indicadores de Dilma, são combate à inflação, com aumento de 17 pontos percentuais, e combate ao desemprego, com aumento de 15 pontos.

A área com menor percentual de desaprovação é meio ambiente. A maior insatisfação é com as políticas e ações relativas à taxa de juros e impostos, ambas com menos de 20% de aprovação e com desaprovação de 76% e 77%, respectivamente.

Opiniões sobre o noticiário político
Para 40% dos entrevistados, as notícias recentes são mais desfavoráveis ao governo. Na comparação com a pesquisa de março de 2016, esse percentual recua 36 pontos percentuais. Os que consideram as notícias mais favoráveis ao governo somam 18% (em março eram 10%). Na comparação com março, há aumento de 9% para 25% dos que consideram que as notícias não são favoráveis, nem desfavoráveis e o percentual dos que não sabem ou que preferem não responder sobe de 5% para 17%.

Na pesquisa atual, 63% dos entrevistados não lembraram ou não citaram notícias relacionadas ao governo Temer. Em março, esse percentual era de 25%. Atualmente, os assuntos mais citados pelos entrevistados foram os seguintes:

- Afastamento de três ministros do governo Temer por denúncias de corrupção e suspeitas de obstrução da Justiça: 7%

- Notícias sobre operação Lava Jato/ Investigação de corrupção na Petrobras/Petrolão: 5%

- Notícias sobre processo de cassação de Eduardo Cunha: 3%

- Notícias sobre corrupção no governo (sem especificar): 3%

- Notícias sobre novos planos/medidas/ações de governo (regras trabalhistas, salários, privatização, etc): 3%

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Pesquisa CNI-Ibope AVALIAÇÃO DO GOVERNO Junho / 2016

Margem de erro

2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

CNI

Contratante

Confederação Nacional da Indústria - CNI

Período

24/06/2016 a 27/06/2016

Local

Brasil

Amostra

2002 entrevistas em 141 municípios.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Download da pesquisa
Download do relatório