Notícias e Pesquisas

27 Jan 2016

Cresce preocupação dos brasileiros com o desemprego

Preocupada com a crise econômica, a população também passa a se incomodar mais com a inflação e com o desemprego.

Apesar de não estar no topo da lista de áreas consideradas prioritárias para o governo em 2016, o desemprego preocupa cada vez mais os brasileiros, aponta a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira - Problemas e Prioridades para 2016, realizada pelo IBOPE Inteligência para a Confederação Nacional da Indústria (CNI) em dezembro. Em uma lista de 21 medidas de governo, promover a geração de empregos aparece em terceiro lugar com 26% das menções (12 pontos percentuais a mais do que em 2015, quando ocupava a nona posição), mesmo percentual obtido pelo combate à corrupção, que mantém patamar dos anos anteriores (24% em 2015 e 20% em 2014).

A melhoria nos serviços de saúde continua ocupando a primeira posição nesse ranking de medidas consideradas prioritárias, porém com menor destaque: hoje com 36% na soma das menções, contra 51% em 2015 e 49% em 2014. O controle da inflação aparece em segundo lugar, com 31% (tinha 29% em 2015 e 14% em 2014).

No estudo, os entrevistados opinam também sobre a situação de 20 temas no país, podendo qualificar cada um como extremamente grave, muito grave, mais ou menos grave ou como não sendo grave. Considerando apenas as menções como “extremamente grave” para cada tema, a corrupção aparece em primeiro lugar no ranking, com 65%, seguida por drogas (61%) e violência (57%). Essas três áreas, juntamente com saúde, já haviam aparecido entre as quatro mais críticas no país em 2012 e 2014, ocasiões em que o estudo foi realizado.

A lentidão da justiça/ impunidade é considerada extremamente grave por 51% dos brasileiros, enquanto a situação da saúde é avaliada dessa forma por 50% (quartp e quinto lugar no ranking, respectivamente). Inflação e desemprego dividem a sexta colocação, com 46% de menções cada. O aumento da apreensão com o desemprego é verificado também nessa medida: em um ano cresce 14 pontos percentuais a parcela dos que avaliam a questão como extremamente grave no país (eram 32% em 2014, 11º lugar no ranking). Já a inflação, após forte crescimento (19 pontos percentuais de 2012 para 2014), mantém o patamar alcançado. Por fim, chama a atenção no estudo também um aumento de 10 pontos percentuais dos que qualificam a situação da pobreza no país como extremamente grave, de 31% em 2014 para 41% dos brasileiros em 2015.

Avaliação dos problemas do Brasil (% de citações extremamente grave) 

Sobre a pesquisa
A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 7 de dezembro de 2015, com 2.002 pessoas de 16 anos ou mais, em 143 municípios do país.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Retratos da Sociedade Brasileira - Problemas e Prioridades para 2016

Margem de erro

2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

CNI

Opinião pública

Contratante

Confederação Nacional da Indústria (CNI)

Período

04/12/2015 a 07/12/2015

Local

Brasil

Amostra

2002 entrevistas em 143 municípios.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Download do relatório
Apresentação da pesquisa