Notícias e Pesquisas

18 Mai 2016

Cresce o apoio a medidas de reforma da previdência

Entre junho de 2014 e dezembro de 2015 aumentou o número de brasileiros que concordam com mudanças nas regras para aposentadoria que eliminem diferenciais de idade, tempo de contribuição ou valor máximo de aposentadoria, por exemplo. Segundo a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Previdência, realizada pelo IBOPE Inteligência para a Confederação Nacional da Indústria (CNI):

- 65% concordam que professores do ensino fundamental e médio se aposentem com o mesmo tempo de contribuição de trabalhadores de outras categorias profissionais (eram 62%);

63% concordam que mulheres e homens se aposentem com o mesmo tempo de serviço (eram 58% na última pesquisa);

Metade (51%) aprova a igualdade de tempo de trabalho para trabalhadores rurais e urbanos, mesmo patamar da última pesquisa (52%).

47% defendem que as pessoas recebam um único benefício do INSS (aposentadoria ou pensão), 14 pontos percentuais acima da última pesquisa (33%)

39% acreditam que o valor pago pelo INSS às pessoas que se aposentam mais cedo seja menor do que o pago para as que se aposentam mais tarde (em 2014 eram 29%).

Aumento de impostos
Ainda de acordo com a pesquisa, 85% dos entrevistados não estão dispostos a pagar mais impostos para manter as regras previdenciárias atuais. Entre pagar mais impostos e mudar as regras da previ­dência, 75% preferem enfrentar mudanças nas regras de aposentadoria, dos quais 39% afirmam que as mudanças devem ser para todos, 24% que as mudanças devem atingir apenas quem ainda não contribui para a previdência e 12% que as mudanças devem valer para quem já contribui, mas ainda não se aposentou.

 

Caso não seja possível aumentar impostos para manter as regras da previdência, os bra­sileiros preferem que os cortes de gastos sejam realizados em programas sociais (26%), investimentos em infraestrutura (22%) e, em menor grau, em seguro desemprego (11%). Apenas 7% afirmam, espontaneamente, que o governo deve gastar menos com o paga­mento de aposentadorias e pensões.

Cada vez mais tarde
Três em cada quatro brasileiros discordam que por causa do envelhecimento da população é ne­cessário que as pessoas se aposentem cada vez mais tarde. Apenas 20% concordam com essa afirmação. 

A maioria dos brasileiros, entretanto, reconhece a necessidade de se esta­belecer uma idade mínima para a aposentadoria: 65% concordam com essa afirmação. O apoio a essa medida é maior entre as pessoas com renda familiar superior a cinco salários míni­mos (73%) e aqueles que possuem nível superior (72%). O percen­tual dos que concordam com a mudança diminui entre as faixas etárias mais velhas. Enquanto 68% das pessoas de 16 a 24 anos apoiam a medida, o percentual cai para 61% entre a população que tem mais de 55 anos.

Sobre a pesquisa
A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 7 de dezembro de 2015, com 2.002 pessoas de 16 anos ou mais, em 143 municípios do país.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A APOSENTADORIA

Margem de erro

A margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Opinião pública

Contratante

CNI - Confederação Nacional da Indústria

Período

04/12/2015 a 07/12/2015

Local

Brasil

Amostra

2002 entrevistas em 143 municípios.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Download da pesquisa completa
Download da pesquisa