Notícias e Pesquisas

02 Mai 2018

Cerca de 8 em cada 10 brasileiros declaram ser a favor do fim do foro privilegiado

Entre os dias 23 e 25 de abril, o IBOPE Inteligência realizou, sob encomenda do Avaaz.org, uma pesquisa telefônica entre brasileiros com 18 anos ou mais para avaliar o posicionamento deste público sobre o fim do foro privilegiado.   

Mediante a apresentação da definição do que é o foro privilegiado, o presente estudo averiguou a opinião dos entrevistados a respeito desse direito concedido a políticos e autoridades brasileiras, como presidente e vice-presidente da República, ministros senadores, deputados e juízes. Quando questionados a respeito do fim do foro privilegiado, 78% dos respondentes concordam que ele deve acabar, enquanto 12% acham que ele deve ser mantido e 10% não sabem responder esta pergunta.   

É possível observar que os percentuais entre quem avalia que o foro privilegiado deve acabar crescem conforme a renda familiar mensal: 75% entre quem tem renda familiar até 1 salário mínimo, 83% entre os que têm renda acima de 1 até 2 salários mínimos, 85% no grupo dos que têm renda acima de 2 até 5 salários e 86% entre aqueles cuja renda familiar mensal é superior a 5 salários). Quanto à escolaridade, se destacam os que possuem Ensino Superior e Ensino Médio (85% e 83%, respectivamente). A opinião sobre o fim do foro privilegiado também sobressai entre quem tem de 35 e 54 anos (82%) e entre os homens (82%). 

                          

Cerca de dois quintos dizem que o fim do foro privilegiado não afetaria o nível de confiança que têm no Poder Judiciário.

Pensando especificamente no Poder Judiciário e na confiança que a população deposita nesta instituição, 45% dizem que o nível de confiança se manteria igual, caso este poder aprovasse o fim do foro privilegiado. São 36% os que declaram que a confiança aumentaria, ao passo que 8% dizem que ela diminuiria. Nesta pergunta, 11% não sabem responder.   

Entre aqueles que declaram que o nível de confiança no Poder Judiciário se manterá mesmo com o fim do foro privilegiado, sobressaem os que têm renda familiar mensal até 1 salário mínimo (52%), os que moram nas periferias e aqueles que residem nas cidades com mais de 500 mil habitantes (50% em cada um desses segmentos). Nesse sentido, cabe assinalar também os moradores da região Nordeste e quem tem Ensino Fundamental (49% em ambos). 

                          

Ampla maioria crê que o fim do foro privilegiado ajudaria a combater a impunidade.

Grande parte dos brasileiros (77%) acredita que o fim do foro privilegiado ajudaria a combater a impunidade. Os que entendem que não ajudaria totalizam 14% e 9% não sabem responder esta pergunta.  

Entre quem avalia que o fim do foro privilegiado ajudaria a combater a impunidade, observa-se que os percentuais crescem conforme aumenta a escolaridade do entrevistado (69% entre quem possui ensino fundamental, 82% entre os que têm escolaridade média e chega a 87% entre aqueles com ensino superior). A mesma tendência é observada em relação à renda familiar:  entre quem tem até 1 salário mínimo esse percentual é de 73%, indo para 78% entre os que têm renda acima de 1 a 2 salários, 87% entre quem possui renda familiar mensal acima de 2 a 5 salários mínimos, chegando a 90% entre aqueles cuja família tem renda acima de 5 salários. Além disso, quanto mais jovens são os entrevistados maior a percepção de que o fim do foro privilegiado ajudaria a combater a impunidade: 83% entre os que têm de 18 a 34 anos; 79% entre os respondentes com 35 a 54 anos e 67% entre aqueles com 55 anos ou mais. Moradores da região Sul e das capitais brasileiras (81% em cada um desses segmentos) também são destaque entre aqueles que creem que o fim do foro privilegiado poderia ajudar a combater a impunidade.   

                               

 

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE FORO PRIVILEGIADO

Margem de erro

A margem de erro máxima estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratar

Tema

Opinião pública

Contratante

Avaaz

Período

23/04/2018 a 25/04/2018

Local

Brasil

Amostra

1000 entrevistas com população de 18 anos ou mais residente em domicílios com posse de telefone fixo ou com telefones celulares registrados na área de abrangência da pesquisa.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa