Notícias e Pesquisas

20 Dez 2017

Avaliação negativa do governo Temer para de crescer

Apesar da oscilação positiva na avaliação do governo do presidente Michel Temer, a grande maioria (74%) avalia seu governo como ruim ou péssimo . Pesquisa realizada neste mês pelo IBOPE Inteligência para a Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que a avaliação do presidente pouco variou após atingir seu nível mais baixo em setembro. Agora, a administração do presidente é considerada ruim ou péssima por 74% dos entrevistados, 3 pontos percentuais a menos do que em setembro, uma variação dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Em dezembro do ano passado, 46% avaliavam o governo como ruim ou péssimo. Os que consideram o governo como regular passam para 19% (eram 16% na pesquisa anterior e 35% no mesmo período do ano passado) e para 6% o governo está sendo ótimo ou bom (3% em  setembro e 13% em dezembro de 2016).

Sobre a maneira de governar e a confiança no presidente, também há variação dentro da margem de erro. Dentre os entrevistados, 88% desaprovam a maneira de governar de Temer e 90% não confiam no presidente, enquanto 9% aprovam sua maneira de governar, mesmo percentual dos que confiam no presidente.

Temer X Dilma
Na comparação com o governo Dilma, para 59% dos brasileiros o governo Temer está sendo pior do que o governo Dilma. São 10% os que consideram que o atual governo está sendo melhor do que o anterior e 30% acreditam que está igual.

Também são negativas as perspectivas em relação ao restante da gestão do presidente. Aqueles que avaliam que o restante do governo será ruim ou péssimo chegam a 69%. Apenas 7% estão otimistas.

Avaliação por área de atuação
Assim como nos indicadores anteriores, não há mudanças significativas na avaliação por área de atuação do governo, considerando todas as nove áreas avaliadas. Impostos seguem como a pior área avaliada, com 90% de desaprovação, seguida por saúde, com 88%, e segurança pública, com 86%.

Opiniões sobre o noticiário
Pouco mais da metade dos entrevistados (56%) acreditam que as notícias recentes são mais desfavoráveis ao governo, redução de 12 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior (68%). Os que consideram as notícias mais favoráveis ao governo são 13%, quatro pontos percentuais acima do registrado em setembro (9%), no limite da margem de erro da pesquisa.

Neste levantamento, os destaques são para as notícias sobre a reforma da previdência (19%), notícias sobre corrupção no governo, sem especificar (12%) e operação Lava-Jato (6%). 

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Avaliação do governo federal

Margem de erro

2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

CNI

Contratante

CNI - Confederação Nacional da Indústria

Período

07/12/2017 a 10/12/2017

Local

Brasil

Amostra

2000 entrevistas em 127 municípios.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Avaliação do governo federal
Pesquisa completa
Histórico de avaliação de presidentes

COMENTÁRIOS