Notícias e Pesquisas

09 Ago 2016

A poucos dias do prazo final para definição de candidaturas, Ricardo Silva lidera disputa pela prefeitura de Ribeirão Preto

O IBOPE Inteligência, a pedido do Sistema Clube de Comunicação, realizou entre os dias 27 e 31 de julho uma pesquisa sobre as intenções de voto para a prefeitura de Ribeirão Preto. Neste momento, em que partidos e coligações ainda estão definindo quem serão os candidatos que concorrerão às próximas eleições, foram testados dois cenários de intenção de voto, considerando possíveis nomes para esta disputa.

No cenário mais completo, o vereador pedetista Ricardo Silva lidera com 32% das intenções de voto. Em um segundo patamar, o deputado federal Duarte Nogueira (PSDB) aparece com 20% das citações, enquanto que o ex-deputado Fernando Chiarelli (PT do B) é citado por 6% dos eleitores, João Gandini (PSB) tem 5% das intenções de voto, o ex-prefeito João Gilberto Sampaio (PEN) aparece com 4%, enquanto que o psolista Dr. Hermenegildo e o petebista Rodrigo Camargo têm 2% e 1% das citações, respectivamente. Os pré-candidatos da Rede, Fábio Zan, e do PC do B, Wagner Rodrigues, não alcançam 1% das citações. Neste contexto, 23% dos eleitores afirmam que votariam em branco ou anulariam o voto e 7% não sabem ou não respondem.
    
No segundo cenário testado, dessa vez sem os nomes de Fernando Chiarelli e João Gilberto Sampaio, Ricardo Silva se mantém na liderança com 35% das intenções de voto enquanto Duarte Nogueira fica com 22%. Em outro patamar estão João Gandini, com 6% das citações, seguido por Dr. Hermenegildo, Rodrigo Camargo e Wagner Rodrigues, com 2% cada um, e Fábio Zan, com 1%. Os que declaram que votariam em branco ou nulo são 25% e aqueles que não sabem ou preferem não responder somam 5%.     
Intenção de voto espontânea para prefeito
Quando a pergunta de intenção de voto é feita sem a apresentação do disco com os nomes dos pré-candidatos, cerca de seis em cada 10 eleitores (59%) afirmam não saber ou preferem não responder a pergunta. O vereador Ricardo Silva (PDT) é mencionado espontaneamente por 11%, enquanto o peessedebista Duarte Nogueira tem 5% das menções e o ex-deputado estadual Fernando Chiarelli é citado por 1%. Outros nomes totalizam, juntos, 3% das intenções de voto espontâneas. Os entrevistados que declaram votar em branco ou nulo nessa situação somam 20%.

Segundo turno
O IBOPE Inteligência simulou alguns cenários de segundo turno. Na hipótese da disputa se dar entre os pré-candidatos Duarte Nogueira e Ricardo Silva, o vereador tem vantagem de 17 pontos percentuais: aparece com 47% das intenções de voto, enquanto o deputado federal tem 30%. Neste cenário, 20% dos eleitores ribeirão-pretanos declaram a intenção de votar em branco ou nulo e 3% estão indecisos ou preferem não responder.


Já no cenário em que a disputa se daria entre Duarte Nogueira e João Gandini, o deputado federal apresenta uma vantagem de 20 pontos percentuais: 44% das citações ante 24% do pessebista. Considerando este cenário, 27% entrevistados declaram a intenção de votar em branco ou nulo e 5% estão indecisos ou preferem não responder.

Numa eventual disputa entre Ricardo Silva e João Gandini, o vereador pedetista tem 56%, 37 pontos percentuais de vantagem sobre o pré-candidato do PSB (19%). Os eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou nulo somam 19%, e 6% estão indecisos ou preferem não responder.

Rejeição
O IBOPE Inteligência perguntou também em quais dos pré-candidatos os entrevistados não votariam de jeito nenhum. Fernando Chiarelli é o mais citado (36%), seguido por Duarte Nogueira (30%). Fábio Zan aparece com 22% das menções; João Gilberto Sampaio e Rodrigo Camargo são citados por 21% dos eleitores ribeirão-pretanos, cada um. Os demais possíveis candidatos obtêm índices entre 18% e 13%. Aqueles que preferem não responder correspondem a 15% da amostra e 4% declaram espontaneamente que poderiam votar em qualquer um dos nomes apresentados. Nesta pergunta, os entrevistados podem mencionar mais de um pré-candidato.


Avaliação da administração municipal
A administração da prefeita Dárcy Vera é avaliada de maneira negativa (ruim ou péssima) por cerca de 3/4 dos entrevistados (78%), enquanto que 19% a avaliam de forma regular. Consideram a administração ótima ou boa, 2% dos eleitores de Ribeirão Preto. 
Cerca de nove em cada dez entrevistados (92%) desaprovam a forma como Dárcy Vera vem administrando o município, enquanto outros 8% declaram aprová-la. Aqueles que não sabem ou preferem não responder totalizam 1%.

Áreas problemáticas em Ribeirão Preto
O IBOPE inteligência também perguntou a percepção da população sobre as principais áreas problemáticas da cidade. A saúde é citada por mais de dois terços (70%) dos eleitores. Em segundo lugar, aparece calçamento de ruas e avenidas, aspecto mencionado por metade (50%) dos respondentes. Educação e segurança pública são citadas por 29% e 27%, respectivamente. Esses percentuais correspondem à soma das três áreas que os entrevistados poderiam mencionar.


Também foram perguntadas quais medidas poderiam ser tomadas para a melhora de algumas áreas específicas do município. Na área da educação, a principal demanda da população é a garantia de vagas na rede (creche, pré-escolas e escolas) para todas as crianças e em unidades próximas de suas residências (39%). Em seguida aparecem medidas relativas aos profissionais da área, como a contratação de professores (22%) e o investimento e valorização da carreira (22%). Ainda, para 19% dos eleitores, é necessário expandir o número de unidades.

Na saúde, os eleitores ribeirão-pretanos afirmam que as ações mais necessárias para a área seriam a melhoria no atendimento de emergência e prontos-socorros (35%), uma maior agilidade nos processos de agendamento e realização de consultas, retornos, exames e entrega de resultados e cirurgias (34%) e a ampliação da rede de atendimento (30%).

A valorização e fortalecimento da carreira de policiais e guardas são apontados por ¼ dos entrevistados (26%) como medidas necessárias para melhoria da segurança pública em Ribeirão Preto, seguidas pelo combate mais severo ao tráfico de drogas e o aumento do efetivo de guardas, ambos com 22% das citações, e pelo incremento no número de viaturas nas ruas da cidade (21%).

Para as perguntas de ações necessárias em áreas específicas, os percentuais correspondem à soma das duas áreas que os entrevistados poderiam mencionar em suas respostas.

Avaliação da administração estadual e federal
Entre os eleitores de Ribeirão Preto, a administração do governador Geraldo Alckmin é avaliada como regular por 43%, de maneira positiva (ótima ou boa) por 28%, enquanto que 26% consideram-na ruim ou péssima.


A administração do presidente interino Michel Temer é considerada regular por 40% dos eleitores da cidade, ruim ou péssima por 1/3 (34%), enquanto que para 17% dos ribeirão-pretanos ela é ótima ou boa.

Avaliação da atuação dos deputados da região
Perguntados sobre a atuação dos deputados que representam a região de Ribeirão Preto, o peemedebista Léo Oliveira é apontado pelos entrevistados como aquele que mais tem trabalhado para resolver os problemas da região (25%), seguido pelo pedetista Rafael Silva (23%). Em outro patamar, Baleia Rossi (PMDB) e Duarte Nogueira (PSDB) aparecem com 10% e 9% das citações, respectivamente. O ex-prefeito Welson Gasparini (PSDB) é citado por 5% dos eleitores e o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS) por 1% dos respondentes. Outros 16% dos entrevistados dizem espontaneamente que nenhum dos deputados apresentados têm trabalhado para resolver os problemas de Ribeirão Preto e região e 12% não sabem ou não opinam nesta questão.

Fontes de informação sobre política e de decisão do voto
A pesquisa também investigou quais são as fontes mais utilizadas pelos eleitores de Ribeirão Preto para se informar sobre política e para decidir o voto nas eleições. Nas duas situações, a televisão é apontada como principal meio: 62% das citações na busca de informações sobre política; 57% como fonte de informação importante na escolha do candidato.

As mensagens de grupos e redes sociais (exemplo: Facebook, WhatsApp, Twitter) aparecem em segundo lugar como fontes mais utilizadas para se manter informado sobre política (28%), seguidas pelos sites de TV’s, jornais e revistas (25% das citações).

Já para decisão do voto, num segundo patamar aparecem as conversas com parentes, amigos e colegas de trabalho, com 24% das citações, seguidas pelos sites de veículos de comunicação (21%).

Voto consciente
Outro ponto abordado pelo levantamento foi a influência de eventuais denúncias contra o candidato de preferência nas intenções de voto. Caso o candidato a prefeito estiver envolvido em irregularidades, nove em cada dez eleitores (90%) declaram que deixariam de votar nele, mesmo patamar para casos que envolvam candidatos a vereador (91%)
.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

CONTEXTO POLÍTICO-ELEITORAL EM RELAÇÃO ÀS PRÓXIMAS ELEIÇÕES NO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO - SP

Margem de erro

a margem de erro estimada é de 5 (cinco) pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

Eleições

Opinião pública

Contratante

pesquisa contratada por SISTEMA CLUBE DE COMUNICAÇÃO LTDA.

Período

27/07/2016 a 31/07/2016

Local

Brasil - Ribeirão Preto - SP

Amostra

foram entrevistados 406 eleitores. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.

Registro TRE/TSE

registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o protocolo Nº SP-04318/2016.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pesquisa completa

COMENTÁRIOS