Institucional

Dúvidas frequentes

A atual metodologia das pesquisas é eficiente?
Sim. Nossas pesquisas são pautadas em critérios técnicos da ciência estatística. Elas representam a população em estudo, pois os grupos sociais e as várias regiões geográficas aparecem na amostra em proporção muito próxima à da população pesquisada. Nossos resultados refletem fielmente o que encontramos durante entrevistas com a população e independem totalmente dos interesses de quem nos contrata. Esse rigor estatístico, associado a outros controles que temos, garante a credibilidade da nossa pesquisa. Além disso, nossas pesquisas atendem aos códigos de autorregulação e de ética elaborados pela associação mundial de profissionais de pesquisa, a European Society for Opinion and Marketing Research (ESOMAR), e pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP).

A empresa é de capital aberto?
O capital do IBOPE Inteligência é fechado e a empresa não tem planos de realizar a abertura de seu capital.

As pesquisas do IBOPE Inteligência são gratuitas e abertas ao público?
Algumas pesquisas são realizadas pelo IBOPE para divulgação, gratuitamente, e podem ser encontradas neste site, na seção Notícias & Pesquisas. Outra parte é de exclusividade do contratante, não podendo ser divulgada.

Como acessar pesquisas antigas?
Este site reúne um histórico amplo de pesquisas cujos resultados já foram divulgados. As pesquisas anteriores a 1998 podem ser encontradas no banco de dados do CESOP, que é composto por dados brutos, questionários e relatórios de pesquisas produzidos por empresas de opinião e centros científicos. O IBOPE está entre as várias empresas de pesquisa que colaboram com o CESOP. O Banco de dados é de acesso ao público. Para obter mais informações acesse o site: http://www.cesop.unicamp.br/site/htm/apre.php

Como é feito o cálculo para o IBOPE Inteligência saber quantas pessoas devem ser entrevistadas para representar a população brasileira?
O tamanho da amostra não determina se ela é de boa ou de má qualidade. Mais importante do que o seu tamanho é a sua representatividade, ou seja, o seu grau de similaridade com todas as características socieconômicas da população em estudo, como renda, faixa etária e nível de escolaridade. O cálculo para saber quantos devem ser entrevistados obedece a uma fórmula estatística e depende da margem de erro contratada pelo cliente.

Como é possível acessar as pesquisas eleitorais do IBOPE Inteligência?
Nossas pesquisas eleitorais estão disponíveis no site http://eleicoes.ibopeinteligencia.com/Paginas/Home.aspx. As demais pesquisas feitas para divulgação estão disponíveis no ibopeinteligencia.com.Já as pesquisas anteriores a 1998 foram doadas à Unicamp e podem ser acessadas no acervo do Cesop: http://www.cesop.unicamp.br/site/htm/apre.php.

Como é possível atestar a credibilidade das pesquisas eleitorais?
A Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP) congrega as empresas de pesquisa no Brasil e segue rigorosos códigos de ética, portanto, o primeiro item a observar é se a empresa é ou não filiada à ABEP. Além disso, em ano eleitoral, todas as pesquisas feitas para divulgação devem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral, nos Tribunais Regionais Eleitorais ou nos Cartórios Eleitorais, dependendo do âmbito do pleito, e precisam trazer informações como amostra, período de realização, número de registro no Tribunal, empresa que realizou a pesquisa, empresa contratante, estatístico responsável, valor pago, controles de qualidade realizados etc. No caso do IBOPE Inteligência, a credibilidade é o maior patrimônio e todos os estudos realizados pela empresa em mais de 72 anos foram pautados em critérios técnicos da ciência estatística. As pesquisas do IBOPE Inteligência representam a população em estudo, pois todos os grupos sociais e as várias regiões geográficas aparecem na amostra em proporção muito próxima à da população pesquisada. Esse rigor estatístico, associado a outros controles de qualidade que temos, garante a credibilidade da pesquisa.

Como obter autorização para publicar dados ou uso de imagem?
É necessário o envio de uma carta em papel timbrado da editora solicitando a autorização, com as seguintes informações: título, autor, editora, tiragem, público-alvo, além do dado ou imagem que deseja utilizar e o contexto em que ocorrerá a publicação. A carta deve ser assinada pelo responsável. Referências ao IBOPE também deverão ser encaminhadas. A correspondência deve ser enviada aos cuidados da comunicação institucional, no endereço: Alameda Santos, 2.101, 3º andar, CEP 01419 100, São Paulo – SP.

Como saber em quais cidades foram realizadas as pesquisas eleitorais?
Essa informação é incluída no registro da pesquisa até 24 horas contadas da divulgação do resultado. e pode ser acessada no site www.tse.jus.br

Como são escolhidas as pessoas entrevistadas?
O IBOPE Inteligência usa amostras rigorosamente representativas da população em estudo, selecionadas por meio de critérios estatísticos que utilizam como base as fontes oficiais de dados do País: IBGE, TRE e TSE. Para pesquisas estaduais, o IBOPE Inteligência utiliza uma amostra por conglomerados, selecionada em três estágios: 1- Seleção probabilística dos municípios onde serão realizadas as entrevistas, pelo método PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho). 2- Seleção probabilística dos setores censitários do IBGE, também pelo método PPT. 3- Seleção dos entrevistados por meio de quotas proporcionais de sexo, idade, grau de instrução e setor de dependência econômica, dentro dos setores censitários sorteados previamente. As quotas servem para evitar vieses decorrentes da não existência de cadastros dos eleitores dentro dos setores censitários e da impossibilidade do levantamento de tal informação durante o processo da pesquisa.

Como são feitas as perguntas em pesquisas eleitorais? Qual é a diferença entre pesquisa espontânea e estimulada?
No caso das pesquisas de intenção de voto, as perguntas podem ser espontâneas ou estimuladas. No primeiro caso, pede-se para que os entrevistados digam espontaneamente o nome do candidato em que pretendem votar. Já no caso das perguntas estimuladas, é apresentado um disco com o nome de todos os candidatos e pede-se para que o entrevistado escolha, dentre os candidatos presentes no disco, em qual ele votaria se as eleições fossem hoje. Outras perguntas são formuladas de acordo com os objetivos da pesquisa: potencial de voto dos candidatos, imagem dos candidatos, nível de rejeição etc.

Como são feitas as pesquisas eleitorais?
Para saber como o IBOPE Inteligência realiza e divulga pesquisas eleitorais, acesse o Guia de Leitura de Pesquisa Eleitoral.

De quais pesquisas posso participar voluntariamente?
Você pode se cadastrar para participar das pesquisas online realizadas pelo painel CONECTAí. Os internautas são convidados e a participação é voluntária. Em cada pesquisa, os painelistas são selecionados para responder de acordo com seu perfil. Para participar acesse o site do CONECTAÍ.  A pesquisa oferece bônus pela participação por meio de um programa de acúmulo de pontos, que podem ser trocados por prêmios.

De que forma é assegurado o anonimato do entrevistado?
Somos certificados nas normas ISO 9001:2008 de Gestão de Processos e 20252:2006 de Pesquisa de Mercado, Opinião e Política, além seguirmos o código de auto regulamentação da ESOMAR, de forma que fica totalmente garantido o anonimato dos entrevistados. De acordo com a norma ISO 20252:2006 de Pesquisa de Mercado, Opinião e Política: “Todas as abordagens a entrevistados devem incluir uma breve descrição dos princípios de confidencialidade do entrevistado, os propósitos gerais da pesquisa na qual ela irá participar e o nome do fornecedor do serviço de pesquisa. Recomenda-se que os entrevistados sejam avisados de que sua participação é voluntária Deve-se garantir aos entrevistados a confidencialidade em todas as entrevistas pessoais, incluindo contato do fornecedor do serviço de pesquisa. Para os entrevistados que participarem de entrevistas por telefone, os detalhes do contato do fornecedor de serviços de pesquisa devem ser fornecidos, se solicitados”. Já no código de ética da ESOMAR, a confidencialidade é garantida pelo artigo 7 , de Proteção de dados e privacidade:

“As informações pessoais coletadas e guardadas de acordo com este Código serão:

- coletadas para objetivos específicos de pesquisa e não serão usadas de qualquer forma incompatível com esses objetivos.

- adequadas, relevantes e não excessivas em relação ao objetivo da pesquisa para a qual elas são coletadas e/ou posteriormente processadas. O pesquisador assegurará que a identidade pessoal dos respondentes não seja revelada ao cliente. A menos que a legislação nacional contenha normas mais restritas a respeito, o pesquisador pode comunicar ao cliente os dados pessoais que identificam o respondente, sob as seguintes condições: i) o respondente tenha expressado explicitamente este desejo e/ou ii) o respondente tenha explicitamente dado seu consentimento e ii) com a condição de que nenhuma atividade comercial (como definido no Artigo 1d) será dirigida a ele/ela como resultado direto de ter fornecido a informação”.

Em quais países o IBOPE Inteligência atua?
Além do Brasil, atua em toda a América Latina por meio de um escritório comercial na Argentina.

Há algum tema que o IBOPE Inteligência se recuse a pesquisar?
Não.

Nunca fui e não conheço ninguém que foi entrevistado pelo IBOPE Inteligência.
Essa é uma dúvida pertinente à população. É realmente muito difícil conhecermos alguém que já tenha sido entrevistado por um instituto de pesquisa. O que ocorre é que toda pesquisa é feita a partir de uma amostra representativa. Por exemplo, em São Paulo existem mais de nove milhões de eleitores. Desses milhões, é entrevistada apenas uma parcela da população, que vai fazer parte da nossa amostra. Por isso, a probabilidade de uma pessoa conhecida ser selecionada é muito pequena.

O IBOPE Inteligência dá algum tipo de remuneração por participação em pesquisas?
As pessoas que participam das pesquisas não recebem nenhum tipo de remuneração, porém, eventualmente, são oferecidos incentivos pela participação, tais como envios de brindes em datas comemorativas e sorteios mensais com prêmios.

O IBOPE Inteligência pode me enviar modelos das pesquisas que realiza?
Não é prática comum enviarmos questionários ou modelos das pesquisas que realizamos, uma vez que a maioria delas é planejada sob medida para atender às necessidades de um contratante. Conheça nossas metodologias na seção "Produtos e Serviços".

O IBOPE realiza pesquisas com crianças até 13 anos?
Para realizarmos entrevista com crianças e/ou adolescentes até 13 anos solicitamos autorização do pai ou responsável. Por telefone pedimos para falar com o responsável e informamos o projeto a ser realizado. É necessário que o pai/responsável informe o número do RG, além disso temos a gravação da autorização. Pessoalmente (domiciliar) ou em discussão em grupo também devemos ter autorização e utilizamos um formulário padrão com a assinatura do pai/responsável.

Pessoa física pode comprar uma pesquisa?
As pessoas físicas podem contratar serviços de pesquisas, sendo as informações necessárias para emissão de documento fiscal o CPF e o endereço do contratante. 

Pesquisas eleitorais são sempre pagas pelos partidos políticos?
Qualquer pessoa jurídica pode contratar uma pesquisa de intenção de voto. Tradicionalmente, os maiores clientes do IBOPE Inteligência nesse segmento são entidades de classe, partidos políticos, patrocinadores de campanhas políticas e veículos da imprensa.

Podemos confiar plenamente nos resultados das pesquisas eleitorais?
Podemos responder pelas pesquisas realizadas pelo IBOPE Inteligência e a resposta é sim. Todas as pesquisas realizadas pelo IBOPE em mais de 72 anos de existência são pautadas em critérios técnicos da ciência estatística. Nossas pesquisas representam a população em estudo, pois todos os grupos sociais e as várias regiões geográficas aparecem na amostra em proporção muito próxima à da população pesquisada. Os resultados das nossas pesquisas refletem fielmente o que encontramos na interlocução com as pessoas que entrevistamos e independem totalmente dos interesses de quem nos contrata. O rigor estatístico, associado a outros controles que temos, asseguram a qualidade e a credibilidade da pesquisa. Além disso, nossas pesquisas atendem aos códigos de autorregulação e de ética elaborados pela associação mundial de profissionais de pesquisa, a European Society for Opinion and Marketing Research (ESOMAR), e pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP).

Por que, em algumas pesquisas, os resultados estão fora da margem de erro? Os desvios acontecem com frequência em pesquisas desse tipo?
Pesquisas não são infalíveis, pois não entrevistamos toda a população. Nós tiramos uma amostra dessa população e a toda amostra está associado um erro amostral. A própria estatística nos mostra que a cada 100 pesquisas feitas, 5 poderão ficar fora do limite da margem de erro.

Por que nem sempre a soma dos resultados apresentados nas pesquisas chega a 100%?
Existem duas possibilidades para a soma dos percentuais ultrapassar, ou não chegar a 100%. A primeira delas é quando a pergunta permite que o entrevistado escolha mais de uma alternativa de resposta. A segunda é devido a arredondamentos matemáticos, feitos com base em critérios estatísticos que preveem que: valores encontrados entre 0,0% e 0,4% são arredondados para 0%, enquanto os valores superiores a 0,5% são arredondados para 1%. Exemplo: Se em uma pesquisa com amostra com 400 casos um candidato tiver 102 menções, isso representará 25,50% do total. Esse valor será arredondado para 26%. Caso ocorram outros arredondamentos “para cima” nas menções dos demais candidatos, a soma dos percentuais poderá ser superior a 100%. Da mesma forma, considerando novamente uma amostra com 400 casos, se um candidato recebe 21 menções, isso representará 5,25% do total, que será arredondado para 5%. Caso ocorram outros arredondamentos “para baixo” nos percentuais dos outros candidatos, a soma dos percentuais poderá ser inferior a 100%.

Por que nem sempre encontramos o nome de algum candidato nas pesquisas?
Os nomes dos candidatos que aparecem nas pesquisas do IBOPE Inteligência são os que foram registrados no Tribunal Superior Eleitoral pelos partidos políticos que concorrem ao pleito. Os nomes não registrados não aparecem como opção em nossas pesquisas.

Por que preciso fornecer meus dados pessoais para participar das pesquisas?
Os dados pessoais asseguram que de fato entrevistamos uma pessoa e que a entrevista foi realizada no local definido na metodologia amostral. É a partir desses dados, também, que nossos verificadores podem confirmar o trabalho do entrevistador.

Quais são os interesses dos veículos de comunicação ao encomendar uma pesquisa?
O objetivo de um veículo de comunicação é informar seus leitores, telespectadores ou ouvintes. Portanto, o interesse é puramente jornalístico.

Qual é a diferença de ponto percentual para porcentagem?
O ponto percentual é a unidade que indica o valor absoluto da diferença entre porcentagens. Já porcentagem é uma relação entre dois valores a partir de uma fração cujo denominador é 100. Veja o exemplo: O candidato A tinha uma intenção de voto de 20% e, na pesquisa seguinte, sobe para 30%. Isso significa que ele cresceu 10 pontos percentuais (30-20 =10) ou que registrou um crescimento de 50% (30/20-1*100). O ponto percentual é mais simples de calcular: uma taxa de 30% que cresce em 5 pontos percentuais passa para 35%. É a relação direta sobre a porcentagem. Agora, se cresceu em 5% (cinco por cento), é necessário fazer o cálculo de porcentagem.

Qual é a diferença entre pesquisa e enquete?
Em muitas ocasiões, as pessoas se referem às pesquisas como sendo enquetes, ou vice-versa. Entretanto, a diferença entre os dois significados está no rigor científico da execução das mesmas. Nas enquetes há auto-seleção da amostra (as probabilidades de alguém ser selecionado são desconhecidas) e, portanto, existe a possibilidade de viés nos resultados, já que o perfil dos respondentes pode não ser representativo do universo. Os resultados podem não ser replicados. Por exemplo, em sites com perguntas, as pessoas decidem ou não se querem participar e pode ser que somente pessoas com determinadas características respondam às perguntas. Ela se auto-seleciona para responder às perguntas. Em pesquisas por amostragem, entretanto, a seleção dos respondentes é feita por critérios científicos (probabilidades conhecidas) e o perfil dos respondentes é representativo do universo pesquisado. Os resultados são replicados.

Qual é a influência das pesquisas de intenção de voto na decisão do eleitor?
Não existem estudos conclusivos sobre a influência das pesquisas na decisão do eleitor, mas sabe-se que elas são mais uma fonte de informação para o eleitor decidir seu voto. Fica muito difícil saber qual o efeito isolado que as pesquisas têm na decisão de voto do eleitor, uma vez que todos estão expostos a muitas outras fontes de informação: horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, campanha de rua, matérias que a imprensa faz sobre os candidatos, debates, conversas com familiares, amigos, colegas de trabalho etc. Além disso, o eleitor pode tomar várias atitudes com base na informação da pesquisa: votar em quem está na frente, votar em quem está em segundo lugar porque não gosta do primeiro colocado, votar branco/nulo, escolher entre os que estão na frente aquele que mais defende as ideias nas quais o eleitor acredita etc. Não se pode dizer que o efeito, se existir, seja apenas em uma única direção, caso contrário, não aconteceriam as viradas que frequentemente ocorrem nas eleições.

Qual é a melhor época para realizar uma pesquisa eleitoral?
No final do ano anterior ao ano eleitoral começa o que chamamos de primeira fase da campanha, quando são feitas pesquisas sob medida, para avaliar a viabilidade política dos partidos e de seus candidatos. Nessa fase, os questionários são bem mais longos, mais complexos e estratégicos. O objetivo, nesse caso, é mapear o eleitorado em termos sociopolíticos antes mesmo da definição dos candidatos à eleição. A ideia é auxiliar na decisão sobre nomes e coligações, por meio de estudos de viabilidade e análises sobre a potencialidade de possíveis candidatos, sempre com base nas demandas e expectativas da população. Os levantamentos da fase dois vão desde a definição dos candidatos até o início da propaganda eleitoral gratuita e visam a auxiliar no planejamento da campanha. O propósito, nesse caso, é identificar os pontos fortes e fracos dos candidatos e partidos, além de posicioná-los diante dos adversários e alinhar propostas e argumentos da campanha. Para isso realizamos discussões em grupo com eleitores, pesquisas estratégicas face a face e pesquisas temáticas. Com o início da propaganda eleitoral gratuita, as pesquisas entram em uma terceira fase, quando o IBOPE se propõe a monitorar a campanha propriamente dita, fazendo a avaliação dos programas eleitorais gratuitos por meio de discussões em grupo, trackings (que fornecem resultados diários), pesquisas quali-quanti e pesquisas relâmpago realizadas em caráter de urgência. Nesta fase, o importante é não ser pego de surpresa.

Qual é o critério de classificação socioeconômica utilizado pelo IBOPE?
O IBOPE utiliza o Critério de Classificação Econômica Brasil, elaborado pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (Abep). Informações sobre este critério estão disponíveis no site da Abep.

Qual é o critério para a divulgação de pesquisas de opinião pública?
Somos uma instituição privada, que presta serviços para aqueles que encomendam suas pesquisas. Por isso, a grande maioria das pesquisas são realizadas a pedido de um contratante e não por iniciativa própria, sendo que cabe a este contratante a decisão de divulgar ou não o resultado. Nos casos em que optamos por divulgar o resultado das pesquisas, o objetivo é informar a opinião pública, pois acreditamos que informação é peça fundamental no exercício da democracia.

Qual é o tamanho de amostra mínima aceitável para uma pesquisa eleitoral?
Nas últimas pesquisas eleitorais, o IBOPE Inteligência trabalhou com amostra mínima de 301 eleitores para um intervalo de confiança de 95% e margem de erro de seis pontos percentuais.

Quando o IBOPE foi fundado?
O IBOPE foi fundado em 1942 por Auricélio Penteado, então dono da Rádio Cosmos, em Sâo Paulo. Auricélio aprendeu a realizar pesquisa de audiência de rádio para entender como era o desempenho de sua rádio e acabou investindo na criação do IBOPE.

Quanto custa uma pesquisa eleitoral?
O valor de uma pesquisa de opinião pública varia de acordo com a localidade, tamanho da amostra e número de perguntas no questionário.

Quantos colaboradores o IBOPE Inteligência possui?
Cerca de 500 colaboradores. 

Quantos escritórios o IBOPE Inteligência possui no Brasil? Em quais cidades?
O IBOPE Inteligência possui escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre. 

Quem é o presidente do IBOPE Inteligência?
Carlos Augusto Montenegro é presidente do IBOPE, Luis Paulo Montenegro é vice-presidente e Márcia Cavallari é a CEO do IBOPE Inteligência.

Quem faz as pesquisas eleitorais?
O IBOPE Inteligência e seus colaboradores da unidade de negócios de opinião pública e política, com a supervisão do diretor Helio Gastaldi e da CEO do IBOPE Inteligência, Márcia Cavallari.

Quem pode contratar uma pesquisa?
No caso das pesquisas eleitorais utilizamos várias metodologias e tipos de pesquisa: qualitativas, quantitativas estratégicas, quantitativas de acompanhamento (tracking) e monitoramento de redes sociais. Essas pesquisas são realizadas para candidatos, partidos, entidades de classe, patrocinadores de campanhas eleitorais, veículos de comunicação, entre outros. Ou seja, qualquer interessado, seja ele pessoa física ou jurídica, de qualquer segmento de atividade, pode contratar pesquisas eleitorais do IBOPE ou de qualquer outra empresa de pesquisa.

Recebo ligações de um número pertencente ao IBOPE, mas quando atendo, a ligação cai. Por que isso ocorre?
Utilizamos, em algumas pesquisas telefônicas, um sistema automatizado chamado URA. Esse sistema só é ativado se a pessoa que atender à ligação disser alguma saudação, como “alô”. Caso contrário, a ligação é desligada. É possível, portanto, que você tenha atendido o telefone sem dizer nada, ou que tenha dito alguma saudação em voz muito baixa que não foi reconhecida pelo sistema. Por esse motivo o telefonema foi encerrado.

Se votos brancos e nulos são diferentes entre si, por que sempre aparecem nas pesquisas somados como se fossem uma coisa só?
Apesar de sabermos que os votos brancos e nulos diferem em seus significados, em termos analíticos, podemos considerá-los no mesmo índice, pois mostram quantos eleitores não escolheram nominalmente nenhum dos candidatos colocados na pesquisa.

Sou estudante. De que forma posso ter acesso às pesquisas do IBOPE Inteligência para um trabalho acadêmico?
Todas as informações divulgadas pelo IBOPE Inteligência ou seus clientes estão disponíveis neste site, no canal Notícias & Pesquisa. Basta selecionar o tema de seu interesse.

Todas as pesquisas realizadas pelo IBOPE Inteligência durante a eleiçaõ são divulgadas?
Possuimos uma série de soluções específicas para eleições. Oferecemos aos nossos clientes soluções sob medida para atender às necessidades de informações, sejam elas estratégicas, táticas, de inovação ou para divulgação. No caso das pesquisas eleitorais, utilizamos várias metodologias e tipos de pesquisa: qualitativas, quantitativas estratégicas, quantitativas de acompanhamento (tracking) e monitoramento de redes sociais. Essas pesquisas são realizadas para candidatos, partidos, entidades de classe, patrocinadores de campanhas eleitorais, veículos de comunicação, entre outros. Por isso, nem todas as pesquisas são realizadas com fins de divulgação. Normalmente, as pesquisas que são realizadas com fins de divulgação têm um questionário mais curto, mais objetivo, pois a finalidade principal é informar a opinião pública. As que são realizadas para consumo interno possuem questionários mais longos e mais estratégicos com o objetivo de entender o processo de decisão do eleitor. Todas as pesquisas realizadas para divulgação encontram-se disponíveis no site do IBOPE Inteligência.